Notícias

Campanha católica investigada pela polícia por 'transgressão do gênero' mulher trans

Caroline Farrow será entrevistada sob cautela após reclamação sobre comentários no Twitter

Uma católica devota disse que está sendo investigada pela polícia depois de usar o pronome errado no Twitter para descrever uma mulher transexual.

Caroline Farrow, 44, foi informada pela Polícia de Surrey que deseja conduzir uma entrevista gravada sob cautela, após receber relatos de que ela fez comentários transfóbicos online.

A jornalista e ativista católica está sendo investigada sob a Lei de Comunicações Maliciosas e, embora a entrevista seja voluntária, ela afirma que pode ser presa se não comparecer, diz The London Evening Standard .



A briga remonta a setembro, quando Farrow apareceu no ITV’s Bom dia grã-Bretanha ao lado da ativista pelos direitos dos transgêneros Susie Green, cuja filha Jackie nasceu Jack.

Após um acalorado debate no ar sobre a decisão das Girl Guides de aceitar crianças que mudaram de gênero, Farrow supostamente acessou o Twitter para continuar a briga e, durante a troca, foi acusado de se referir à filha transgênero de Green usando o pronome errado, relata The Daily Telegraph .

Farrow agora diz que não consegue mais se lembrar dos tweets ofensivos, mas explicou: Eu provavelmente disse 'ele' ou 'filho' ou algo assim.

Em uma série de mensagens esta semana, ela acrescentou: Eu indiquei à polícia que sou uma jornalista católica [e] comentarista e minha crença religiosa é que uma pessoa não pode mudar de sexo.

Ela continuou: agora preciso informar meus filhos que a mamãe está com problemas com a polícia porque havia uma menina, que nasceu no corpo de um menino, a quem eu poderia inadvertidamente ter me referido como um menino.

Mas Green, que fez a queixa original à polícia, insiste que o suposto deslize foi deliberado, acrescentando que os comentários de Farrow foram angustiantes e rancorosos.

Confirmando que um inquérito foi lançado, um porta-voz da Polícia de Surrey disse: Recebemos uma alegação em 15 de outubro de 2018 em relação a uma série de tweets que foram postados em outubro de 2018. Uma investigação completa está sendo realizada para estabelecer se há alguma ofensa criminal aconteceram.

Uma mulher de 44 anos foi convidada a comparecer a uma entrevista voluntária relacionada à alegação como parte de nossa investigação em andamento.